Consulte o acervo da Revista Pellegrino utilizando a busca.

PÓSITRON “DESAFIO E OUSADIA DE INVESTIR, MESMO NA ADVERSIDADE”

PÓSITRON “DESAFIO E OUSADIA DE INVESTIR, MESMO NA ADVERSIDADE”

06/05/2015

Formado em engenharia eletroeletrônica, pós-graduado em administração e marketing com especialização em gestão estratégica de negócios pela FGV, o diretor comercial da Pósitron no Brasil, Celso Antônio dos Santos, acredita na possibilidade de um cenário favorável ao aftermarket no decorrer do ano, apesar dos altos e baixos da economia. Segundo ele, o contexto atual favorece a venda de carros usados, o que significa mais revisões, troca de peças e instalação de novos acessórios. Responsável pela coordenação das áreas de aftermarket, montadoras (OEM), varejo/áudio, marketing, garantia e pós-venda, Celso fala, na entrevista abaixo, sobre suas expectativas e desafios.

 

Por Paulo Carneiro

 
REVISTA PELLEGRINO A Pósitron é líder não só na área de som automotivo como também no desenvolvimento de tecnologia para rastreamento e segurança. Quais são as suas expectativas quanto à ampliação dessa liderança e a consolidação da imagem?
 
CELSO ANTONIO DOS SANTOS A Pósitron tem investido cada vez mais no desenvolvimento e aplicação de novas tecnologias e em diversas formas de comercializar seus produtos. O resultado disso é consolidação da companhia como um player inovador e que dita tendências para o setor. 
 
RP A flexibilidade tem sido uma marca do setor automotivo brasileiro, mesmo diante de eventuais aclives e declives da conjuntura econômica. Como o Sr. analisa o atual momento econômico e quais são os reflexos que podemos esperar no aftermarket?
 
SANTOS É consensual que a economia brasileira iniciou 2015 com dificuldades. No entanto, para nós, da Pósitron, o pior já passou. Já estamos vendo avanços em alguns setores, e acreditamos que o cenário macro terá melhoras graduais até o fim do ano. Mesmo as grandes empresas do mercado nacional têm mostrado resultados mais sólidos. Dois bons termômetros foram divulgados recentemente. Em primeiro lugar, o câmbio recuou, o que indica que investidores estrangeiros voltaram a aplicar no país. Além disso, a Fitch e a Standard & Poor’s, duas das maiores agências de classificação de risco do mundo, mantiveram as notas de crédito do Brasil no nível de grau de investimento. Mesmo diante do cenário desafiador, o aftermarket tem oportunidades de negócio. Em contextos como esse, a venda de carros novos retrocede. Em contrapartida, os usados ganham espaço. E quem adquire automóveis deste tipo tende a fazer mais revisões, trocar peças e instalar novos acessórios, como rádios, módulos de vidro e alarmes, entre outros.
 
RP Costuma-se dizer que o ano começa depois do carnaval. Mito à parte, quais são suas expectativas para o segundo semestre e uma possível projeção para 2016?
 
SANTOS Além da cultura do carnaval, que se estende pelo primeiro trimestre do ano, o país está passando por um momento de incertezas e desafios, o que acaba postergando a demanda dos consumidores. Ou seja, a necessidade de adquirir produtos não desaparece, é apenas transferida para um momento de maior confiança na economia. Com o cenário mais estável a partir de agora, o mercado sinaliza a volta do consumo no segundo semestre, que deve ser melhor. Em 2016, o Brasil não deve passar por grandes mudanças. Se o ambiente se mantiver estável, o consumidor irá recuperar a segurança nas compras. Sem os problemas que vimos no primeiro semestre deste ano, o próximo já tende a ser melhor.
 
RP Entre outras atribuições, o Sr. é responsável por áreas variadas, como varejo, marketing, pós-vendas, garantia, além de aftermarket e montadoras. Qual sua estratégia para manter a orquestra sempre afinada?
 
SANTOS A estratégia é manter a integração entre as diversas áreas da companhia. Entender como está cada um dos canais e tentar fomentá-los conforme demandas e exigências de mercado. Além disso, acredito que todos os departamentos precisam estar ligados ao marketing e à comunicação. Isto é fundamental para definirmos que tipo de ações, mensagens e formatos serão utilizados para comunicar os públicos de interesse. Outro ponto importante é saber ouvir e interpretar o mercado. Entender quais são os anseios e necessidades dos consumidores e, assim, responder rapidamente com serviços e produtos de qualidade.
 
RP A Pósitron é reconhecida por sua agilidade e eficiência na busca de soluções tecnológicas em uma área em permanente evolução. Como se dá essa interface entre os profissionais da empresa, que buscam inovação, e o consumidor?
 
SANTOS A Pósitron está sempre estudando os mercados e buscando por equipamentos e acessórios inovadores, que atendam e surpreendam os clientes. Nossas frentes de marketing e produtos estão sempre atentas às novas necessidades de consumidores e parceiros. Na base desse processo, temos uma equipe de engenharia de ponta, que aplica soluções e tecnologias diferenciadas nos equipamentos produzidos.
 
RP Outra grande característica da empresa tem sido a manutenção de uma agenda de treinamento ampla e diversificada. As informações técnicas são facilmente assimiláveis? De modo geral, como o Sr. avalia o grau de qualificação profissional nessa área?
 
SANTOS Um dos grandes diferenciais da Pósitron é o investimento que a empresa faz em treinamentos. Um dos melhores exemplos são os vídeos no YouTube, com foco no instalador. A página da companhia conta atualmente com cerca de 170 gravações, com dicas apresentadas de forma clara e didática. Os processos são 100% assimiláveis e aplicáveis. Além disso, a empresa possui técnicos distribuídos nas cinco regiões do país, que dão suporte aos parceiros da Pósitron. Outro canal é o SAC da companhia. Além de resolver questões técnicas, também auxilia os profissionais na instalação dos produtos.
 
RP Como o Sr. analisa a parceria da Pósitron com a Pellegrino, levando em conta as dimensões do mercado brasileiro?
 
SANTOS A Pósitron analisa a parceria com a Pellegrino como fiel, longa e duradoura. Nosso objetivo é que ela cresça, cada vez mais, ao longo dos anos.
 
RP Qual é seu maior desafio profissional no atual momento da carreira?
 
SANTOS No atual cenário, o principal desafio é ter a ousadia de investir, mesmo em momentos de adversidade, quando aparecem as reais oportunidades de crescimento. A Pósitron vem trabalhando com esse objetivo. Exemplo disso são os lançamentos que acontecerão neste ano, nas linhas de áudio e módulos de vidro, segmentos que serão rejuvenescidos.
 
RAIO-X PÓSITRON
 
Produtos: alarmes, som automotivo, módulos de vidros elétricos, sensores de estacionamento, travas elétricas
Operações: planta fabril em Manaus (AM), sede em Campinas (SP) e uma filial em Buenos Aires (Argentina)
Mais informações:
www.positron.com.br